A Idade Perfeita Roberto Cotroneo

A Idade Perfeita Roberto Cotroneo
R$6,00
Ver detalhes das parcelas
Digite aqui o seu CEP para calcular o frete:

A Idade Perfeita

Roberto Cotroneo

Avalie o livro

A idade perfeita , novo romance de Roberto Cotroneo, tem como narrador um professor que relembra sua paixão proibida por duas irmãs. Com muita sensualidade, ele conta como um texto bíblico atiçou o desejo dos três, causando polêmica na pequenina cidade italiana onde moravam. Primeiro, o professor conheceu Francesca, a mais velha, que insinuou seus sentimentos ao apresentar-lhe o "Cântico dos cânticos", texto de Salomão contido no Velho Testamento. Trata-se de uma passagem da Bíblia que exalta a inocência e os sentimentos puros, mas que ela só conseguia ler como uma poesia sensual, através da qual manifestava suas intenções: "Como uma romãzeira entre as árvores selvagens, assim é o meu dileto entre os amantes. Suspirei por sentar-me à sua sombra, por dividir com ele o meu leito. Nas adegas do vinho me introduziu, ao sinal franco do amor (...) pois que o seu amor me morde mais do que o vinho." Quando Francesca já ocupava todos os pensamentos do professor, eis que ele conhece Nunzia, sua irmã mais nova, de apenas 16 anos, matriculada na classe em que ele lecionava. As duas se fundem em suas fantasias como se fossem uma só mulher. Certo dia, durante uma aula, ele lê o "Cântico" para os alunos, mas fica bem claro que a mensagem era apenas para Nunzia, que a entende: "O teu regaço é uma taça feita no torno, ânfora redonda, e tem vinho inebriante; os teus seios são duas gazelas." Aos poucos, o desejo do professor por Francesca vai se apagando, enquanto Nunzia torna-se uma obsessão incontrolável. "Quanto mais ela se cobria, mais me parecia indecente", ele diz. A moça corresponde e começa a usar o texto sagrado como um manual escandaloso para a perda de sua inocência. Ela conduz o professor pelos corredores labirínticos do casarão barroco onde ela mora até ambos atingirem o jardim interno. Lá, ela abriga o objeto de sua paixão à sombra de uma romãzeira, como no "Cântico", e se lambuzava com o suco da fruta, que oferece a ele como um vinho. A história corre pelas ruas e cafés da cidade com a rapidez e o exagero que só um povo provinciano conhece, e o escândalo se agiganta a cada dia. Afinal, quem seria capaz de usar um texto bíblico para seduzir uma menina? Só mesmo o demônio, dizem. E mesmo estando com sua reputação em risco, o professor leva seu desejo até onde é possível chegar, pois acredita que Nunzia tem a "idade perfeita" citada no "Cântico". Segundo a definição de um conhecido seu, a idade perfeita é "quando o tempo esquece de pedir a conta. Então, a natureza (...) aproveita, explode, fica a descoberto porque se sente invencível. (...) A idade perfeita, para uma mulher, é como uma doença. Uma febre que passa". E o professor quer aproveitar, antes que passe. Fechar